Weby shortcut
topo.jpg

La noche de los asesinos

Espetáculo: LA NOCHE DE LOS ASESINOS

 

SINOPSE

O teatro capaz de suportar, “sem ameaças”, todo o caos humano é o teatro que tem uma raiz no que há de mais incerto nele mesmo: a improvisação. Ele se sustenta sem ameaças porque é constantemente ameaçado. Lançar o olhar para uma porta, uma mesa, uma cadeira, depois de ter descoberto que nada é estável, que a porta não se limita em ser porta pois dentro dela há milhões átomos que se movimentam loucamente, é perder o chão. Toda uma estrutura social e individual é posta em dúvida a partir deste olhar: A cadeira não é a cadeira. O quarto não é o quarto, o quarto é o banheiro.

Assim as três atrizes têm que trazer ao concreto a mesma predisposição que a criança tem de transformar um tijolo em uma borboleta. Esta montagem tem como principal eixo e sustentação o texto cubano A Noite dos Assassinos de José Triana: três irmãs descem ao porão da casa para representar o assassinato dos pais.

 

O Autor:

Noche de los asesinos foi escrita pelo o ator e dramaturgo cubano José Triana, é um texto diferente. Primo irmão de Beckett, não tem um desenvolvimento dramático tradicional. Começou a ser escrito em 1958 em Madrid sendo publicado em 1965. O texto de Triana recebeu o Premio Casa de las Américas, Gallo de La Habana de 1966 e prêmios na  Colômbia, Argentina e México pela sua obra representada mundialmente.

 

Duração: 2h40min.

Direção: Robson Corrêa de Camargo.

Atuação: Janaina Deuselice, Letícia Lemes e Lorena Tondolo.

Cenografia: Aires de Oliveira.

Figurino: Rosi Martins.

Textos: José Triana.

Tradução: Michel Mauch.

Listar Todas Voltar